Alfaré 400 g

Descrição

PRODUTO
Fórmula infantil à base de proteína extensamente hidrolisada e hipoalergênica com 90% de eficácia em crianças com alergia às proteínas do leite de vaca e soja (IgE mediada e IgE não mediada).2,3
Isento de sacarose. Não contém glúten.
INDICAÇÃO
Indicado para crianças de 0 a 1 ano de idade com alergias às proteínas intactas.4
CONSERVAÇÃO
Manter a embalagem fechada à temperatura ambiente em local seco e fresco.
Consumir imediatamente após o preparo.
O produto preparado pode ser armazenado, tampado e sob refrigeração (4 e 5º C) por no máximo 24 horas.
Durante o transporte este produto pode se compactar. No entanto, seu volume e conteúdo correspondem ao peso líquido indicado no rótulo.
DISTRIBUIÇÃO ENERGÉTICA
Proteínas: 12% (100% proteína do soro do leite extensamente hidrolisada)
Carboidratos: 43% (89% maltodextrina, 11% amido)
Lipídeos: 45% (41% TCM; 20% oleína de palma; 20% óleo de girassol; 15% óleo de canola; 3% óleo de semente de cassis e 1% óleo de peixe)
SABOR
SEM SABOR
OBSERVAÇÕES
O LEITE MATERNO É O ALIMENTO IDEAL PARA O LACTENTE. NA IMPOSSIBILIDADE DO ALEITAMENTO MATERNO, A FÓRMULA INFANTIL É O SUBSTITUTO ADEQUADO PARA A ALIMENTAÇÃO DE LACTENTES NO PRIMEIRO ANO DE VIDA.5

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
1) Vieira MC, Spolidoro JVN, Morais MB, Toporovski MS. Guia de diagnostico e tratamento da alergia a proteina do leite de vaca. 2004.

2) Niggemann B, Binder C,Dupont C et al. Prospective,controlled,multi-center study on the effect of an amino-acid-based formula in infants with cow’s milk allergy/intolerance and atopic dermatitis. Pediatr Allergy Immunol 2001; 12: 78-82.

3) Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento de Nutrologia. Manual de orientacao para alimentacao do lactente, do pre-escolar, do escolar, do adolescente e na escola. Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento de Nutrologia – 2aed. – Sao Paulo; SEB, 2008. 120p.

4) Sole,D. Consenso Brasileiro sobre Alergia Alimentar: 2007.Rev Bras Alerg Imunopatol. V 31, n02, 2008.
**NOTAS IMPORTANTES
AS GESTANTES E NUTRIZES PRECISAM SER INFORMADAS QUE O LEITE MATERNO E O IDEAL PARA O LACTENTE, CONSTITUINDO-SE A MELHOR NUTRIÇÃO E PROTEÇÃO PARA ESTAS CRIANÇAS. A MÃE DEVE SER ORIENTADA QUANTO A IMPORTÂNCIA DE UMA DIETA EQUILIBRADA NESTE PERÍODO E QUANTO A MANEIRA DE SE PREPARAR PARA O ALEITAMENTO AO SEIO ATÉ OS DOIS ANOS DE IDADE DA CRIANÇA OU MAIS. O USO DE MAMADEIRAS, BICOS E CHUPETAS DEVE SER DESENCORAJADO, POIS PODE TRAZER EFEITOS NEGATIVOS SOBRE O ALEITAMENTO NATURAL. A MÃE DEVE SER PREVENIDA QUANTO A DIFICULDADE DE VOLTAR A AMAMENTAR SEU FILHO UMA VEZ ABANDONADO O ALEITAMENTO AO SEIO. ANTES DE SER RECOMENDADO O USO DE UM SUBSTITUTO DO LEITE MATERNO, DEVEM SER CONSIDERADAS AS CIRCUNSTÂNCIAS FAMILIARES E O CUSTO ENVOLVIDO. A MÃE DEVE ESTAR CIENTE DAS IMPLICAÇÕES ECONÔMICAS E SOCIAIS DO NÃO ALEITAMENTO AO SEIO – PARA UM RECÉM NASCIDO ALIMENTADO EXCLUSIVAMENTE COM MAMADEIRA SERÁ NECESSÁRIA MAIS DE UMA LATA POR SEMANA. DEVE-SE LEMBRAR A MÃE QUE O LEITE MATERNO NÃO É SOMENTE O MELHOR, MAS TAMBÉM O MAIS ECONÔMICO ALIMENTO PARA O LACTENTE. CASO VENHA A SER TOMADA A DECISÃO DE INTRODUZIR A ALIMENTAÇÃO POR MAMADEIRA E IMPORTANTE QUE SEJAM FORNECIDAS INSTRUÇÕES SOBRE OS MÉTODOS CORRETOS DE PREPARO COM HIGIENE, RESSALTANDO-SE QUE O USO DE MAMADEIRA E ÁGUA NÃO FERVIDAS E DILUIÇÃO INCORRETA PODEM CAUSAR DOENÇAS. OMS – CÓDIGO INTERNACIONAL DE COMERCIALIZAÇÃO DE SUBSTITUTOS DO LEITE MATERNO. WHA 34:22, MAIO DE 1981. PORTARIA Nº 2.051 – MS DE 08 DE NOVEMBRO DE 2001, RESOLUÇÃO Nº 222 – ANVISA – MS DE 05 DE AGOSTO DE 2002 E LEI 11.265/06 DE 04.01.2006 – PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA – REGULAMENTAM A COMERCIALIZAÇÃO DE ALIMENTOS PARA LACTENTES E CRIANÇAS DE PRIMEIRA INFÂNCIA E TAMBÉM A DE PRODUTOS DE PUERICULTURA CORRELATOS.